Wednesday, January 9, 2008

Bye bye Edwards

Com o resultado de hoje, Edwards perdeu qualquer hipótese de disputar a nomeação para o Partido Democrata. É pena que seja este o outcome, mas era por demais previsível. Ninguém pode pretender ganhar uma eleição nos EUA depois de repetir milhares de vezes a expressão corporate greed (aliás, o mesmo se aplica em qualquer país europeu - bom, talvez com a excepção da França, o que pode muito bem ser uma das razões pelas quais o PSF perde eleições com frequência excessiva!). Por muita razão que tivesse nos argumentos apresentados, Edwards seria, numa campanha a sério, carne picada nas mãos da máquina mediática Republicana, que o acusaria seguramente de estar a preparar um golpe socialista em Washington ou coisa do género. Edwards poderia ter aludido aos mesmos problemas que tinha na agenda - e que são os de muitos americanos - se tivesse utilizado outra linguagem menos populista e adoptado uma postura menos guerreira. A política da raiva talvez pudesse funcionar num contexto do género da Grande Depressão do início dos anos 30, mas não hoje.
Para quem irão os seus votos agora? Obama ou Clinton ou...para ninguém? O que Edwards decidir fazer pode ajudar enormemente a decidir quem ganha esta disputa eleitoral.
Não seria descabido que os 'entregasse' a Obama. E talvez Obama, se vencesse, o premiasse com o cargo de vice. Talvez o ticket Obama-Edwards não seja má ideia.

3 comments:

Zèd said...

Pelo que vi no debate do New Hampshire, a possibilidade de um "ticket" Obama-Edwards jà deve estar a ganhar forma hà algum tempo. Foi pordemais evidente a simpatia com que se trataram mutuamente, em contraste com a tensão entre ambos e Hilary Clinton. Acho não seria nada mau ter uma candidatura Obama/Edwards.

Hugo Mendes said...

Hmmmm, essa aproximação, que foi real, pode também ter sido estratégica e restrita a um contexto de início de processo eleitoral. Resta saber duas coisas: 1) se Edwards, quando abandonar - e não parece que o vá fazer já -, continua tão simpático para Obama; 2) se os que votaram em Edwards quererão votar em Obama; estas candidaturas são bastante personalizadas e nenhum candidato pode dizer que 'detém' os votos dos que o ele escolheram apoiar. De qualquer forma, se mesmo uma percentagem reduzida dos que votaram em Edwards passassem para o lado dde Obama já seria uma ajuda importante.
Quanto ao ticket Obama/Edwards, desconheço se tal é realista para além do nosso wishful thinking :)

abraço,
Hugo

zé said...

já no Star Trek foi mais fácil um episódio com um comandante negro do que com um comandante feminino... o machismo fala sempre mais alto (ou então o discurso inócuo e floreado do Obama - basta entusiasmar a Oprah para desconfiar)